Brazilian Photographer Fabio Machado

Profissionais e Amadores na Fotografia

Vitória, setembro 2010

A transição da tecnologia analógica para digital deixou muitos fotógrafos profissionais a ver navios, principalmente os que não eram iniciados no mundo da informática. Em outras palavras, quem era iniciado em informática teve muito mais facilidade em sobressair na fotografia digital do que alguns fotógrafos profissionais da era do filme. De fato, é difícil avaliar até que ponto o domínio da informática facilita a entrada de novos fotógrafos no mercado e, de certa forma, dificulta a vida dos profissionais antigos que não se adaptaram a essa nova era tecnológica na fotografia.

A era digital fez com que as câmeras fotográficas se tornassem verdadeiros equipamentos de informática com lentes. São câmeras com menus diversos, além de software para tratamento e organização de imagens. Ou seja, a fotografia deixou de ser aquela arte limitada aos livros, às câmeras e aos laboratórios de revelação; agora o fotógrafo, independentemente da categoria, tem muito mais questões a gerenciar. Contudo, se por um lado a fotografia digital trouxe uma gama de aspectos a serem gerenciados, por outro, a facilidade de manipulação dos arquivos, os chamados negativos digitais, possibilitou a migração de milhões de usuários de computador para a área da fotografia.
Essa tendência foi acelerada pela queda nos preços dos equipamentos eletrônicos em geral. A título de exemplo, em 2007 foram anunciadas as primeiras câmeras DSLR por menos de mil dólares nos EUA. Considerando os preços baixos no mundo inteiro desde então, a cada mês milhares de novos fotógrafos entusiastas entram nesse mercado como consumidores e, pouco
tempo depois, muitos deles tornam-se produtores de imagens e microempresários da fotografia.
Consequentemente, hoje em dia tem ficado cada vez mais difícil separar amadores de profissionais. Hoje temos muitos amadores com poder aquisitivo suficiente para ter equipamentos de primeira linha e disciplina para estudar e praticar todos os aspectos da fotografia digital. Portanto, muitos têm evoluído para a categoria semiprofissional e têm produzido trabalhos de nível profissional.
Se de um lado, alguns profissionais não têm recebido bem essa tendência, de outro, também existem fotógrafos profissionais que acabam se unindo a esses novos amadores e semiprofissionais, tendo-os como verdadeiros parceiros de trabalho. Nesse sentido, uma coisa é certa: o aprendizado é mútuo, pois na fotografia, existem pessoas com formações, culturas e visões de mundo muito diversificadas, o que permite termos algo que pouco acontecia no
século passado: profissionais aprendendo com amadores e semiprofissionais. Não aprendendo sobre a fotografia em si, mas sobre novas formas de lidar com ela e de fazer uso dela. Essa foi mais uma mudança de paradigma trazida pela era digital na fotografia.
Saudações fotográficas,
Marco Franco

Fotógrafo & Redator
marco_franco@hotmail.com
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s